2006-04-20

DVDs rebeldes

Apesar de ultimamente não ter andado muito interessado em colocar mensagens, venho partilhar convosco a irritação que sinto quando sou obrigado a ver aquilo que o DVD quer que eu veja. Apesar de ser um objecto, logo, sem vontade própria, impõe a sua vontade. Ou melhor: a vontade de quem o criou. E parece não haver leitor que resista...
Queremos ver um filme, em suporte original e torna-se quase insuportável o que temos que esperar até vermos o desejado filme. Ele são avisos, ele são trailers, ele são, basicamente, a impossibilidade de aceder imediatamente ao menu do DVD. Às vezes alguns quase gozam connosco, ao permitirem a visualização rapidamente. Mas continuam sem nos permitir saltar a tal visualização.
Se eu não fosse obrigado, talvez visse melhor o que o DVD propõe antes do dito filme. Não somos obrigados a ver aqueles extras que lá colocam e não interessam a ninguém. No entanto, a curiosidade leva-nos a espreitá-los a todos. Nem que seja apenas para sabermos o que têm para mostrar. O interesse pode terminar aí ou, caso o extra tenha algum interesse, o que raramente acontece, poderá levar o espectador mais interessado a ver. E essa liberdade dá algum gozo.

Quem vê as edições ripadas, normalmente não tem destes problemas. Será que os editores querem incentivar as edições não oficiais? Eu gostava de os poder incentivar a não massacrar os espectadores com coisas pefeitamente desinteressantes...

Felizmente o botão eject não costuma falhar...

5 comentários:

Diana disse...

Um DVD "tem que" divulgar outros DVD´s.
E também me parece que, querem reproduzir aqueles 10 minutos de apresentações de filmes que decorrem nas salas de cinema, antes do pretentido filme que escolhemos para ver, começar...
Sabes que - a publicidade, é-nos impingida, cada vez mais, de forma persistente, inesperada e cansativa - mesmo sabendo-se que o suposto "cliente" não aceitará de bom grado a ideia, principalmente pela forma como é apresentada; "eles" têm que vendê-la...
Mesmo que essa tentativa seja, á partida um fracasso, só pela assumida falta de profissionalismo com que nos é mostrado o producto.
Quase que nos obrigam a rejeitá-lo, mesmo antes de termos conhecimente do seu conteúdo.
Penso que o melhor, será mesmo reagir como nos cinemas: "Ah... 10 min. atrasados... não faz mal...! Primeiro dão sempre aquelas apresentaçõezitas antes... vamos dar uma volta... não perdemos o filme!"
Olha... vai ver se chove!... :)

SOD, o Pérfido disse...

Terá que divulgar?! E como chegamos a ver o primeiro?...

Diana disse...

Pois... o primeiro (que deveria ser o mais importante), dificilmente o vês...
Que fique claro, que não estou a defendê-los.

João Ratão disse...

DVDShrink -> Re-author -> Main movie -> Portuguese subtitles (opcional, apenas para os mais aficionados da língua de Camões) et voilà!

Aos depois é só gravar num DVD e aquilo "arranca" como uma cassete vídeo. Directinho p'ró filmezito!

Nem publicidade... nem pipocas.

SOD, o Pérfido disse...

Isso seria coisa para justificar a minha contribuição mensal, involuntária, para o áudio-visual...

Mas será que justifica o esforço? Não costumo ver um DVD mais que uma vez. Logo, só os compro para oferecer... Gravar para quê?