2013-02-04

Poemão

Uma mulher com tesão,
Oferece tesão, até mais não.
Nessa fixação, havendo fricção,
Haverá um crescendo na excitação.
Quando a mulher abusa do palavrão,
Puxa ainda mais pelo desejo de acção.
Nos preliminares aumenta a provocação,
Olhares, sabores, cheiros, sôfrega apalpação.
A pureza do instinto animal eleva a dominação,
Sobre o seu instinto racional apelando à contenção.
Os corpos desenfreados aumentam a rápida circulação
Do sangue que parece ferver, ameaçando entrar em ebulição.
Sem dúvida, a natureza segue o seu curso propiciando prazer e satisfação.
Ambos ficam extasiados, embrenhados, perdidos e esgotados nesta situação.
Sabendo isto e se, porventura, te vires sem companhia para tamanha exploração,
Põe a mão...

4 comentários:

Dimares disse...

Vês como escreves poemas?
Até lhes dás forma...

Sod o Pérfido disse...

Só raramente escrevo poemas. E só com a correcta inspiração e motivação.
Fiquei orgulhoso por lhe conseguir dar forma, correndo o risco de o alongar demasiado.
E tu, estás a guardar os teus poemas para quando?

Camille disse...

Gosto do tema, não sou fã do "ão" constante!
:)

Sod o Pérfido disse...

Então? Esse ão tirou-te a motivação? Nem um pouco de excitação? Fez-te lembrar um cão?
Ora aqui está uma excelente posição...