2006-02-12

Dias e anos

Não compreendo a preocupação de algumas pessoas com a celebração do aniversário. Parece que envelhecem um ano num dia. Nesse dia, ficam mais velhas e demonstram o seu medo.
Não é de um dia para o outro que envelhecemos. É todos os dias que envelhecemos um pouco.
Alguém dizia-me: "Estou a aproximar-me dos trinta!"
Então e os que se estão a afastar dos trinta? Ou dos quarenta?
A idade passa sem que tenhamos grande mérito nisso. Quer façamos muito, quer nada façamos, o relógio não pára.
O que conta é o que fazemos. O que dizemos, voa com o vento. As intenções ficam registadas em blocos de gelo.
O que deixamos por fazer, pode moer-nos uma vida inteira.
A vida é complicada e não se simplifica com o passar dos anos. Apenas aprendemos a lidar com as situações.
Não há nada como aproveitar o momento, nem que seja no dia de anos. Daí a uns anos, estaremos menos moídos pelo que ficou por dizer/fazer.

5 comentários:

Catarina em Lx disse...

São as chamadas convenções que nos impelem a relembrar e comemorar o dia em que foi festa na nossa família... e em que a nossa mãe ganiu com todos os dentes...

SOD, o Pérfido disse...

Logo, a tua mãe é que merecia um bolo...

Anónimo disse...

As pessoas preocupam-se demasiado com "o passar do tempo", invés de viver do tempo . . .

Di

SOD, o Pérfido disse...

Sem dúvida!

Diria mesmo: viver o tempo...

Anónimo disse...

"Não existe pior nostalgia que arrepender-se daquilo que nunca aconteceu." J. Sabina

(Eu e as minhas frases...)