2006-02-05

Um cão não tem razão

É bom ter um cão.
Um cão grande e feroz.
A mão alimenta o cão, para que ele se torne ainda maior e mais feroz.
Dá jeito ter um cão, que ponha em respeito os cães dos vizinhos.
Quanto mais assustador for o seu ladrar, mais respeito impõe.
Grave deve ser o ladrar.
Se isso não bastar, tem que estar disposto a morder.
A mão que alimenta o cão, acaricia-o e incentiva-o.
Um cão vencedor é um cão peão.
Se alguém parece ameaçar o dono, o cão enfurece-se e prepara-se para a luta.
O cão não pensa como o dono. Segue o seu instinto e a sua educação.

Um dia o cão morde a mão que o alimenta.
Nesse dia é o dono que se enfurece e deixa de alimentar o cão.

"Cabrão do cão, não me mordas mais a mão!"

Abandonado o cão vagueia atrás do dono à espera da reconciliação.
Esta acontecerá quando o dono voltar a precisar mais do cão que da mão...

4 comentários:

100 nada disse...

Olha, olha, temos blog! :DDD

SOD, o Pérfido disse...

Queres ver que um gajo tem que montar um blog para merecer alguma atenção?!...

Anónimo disse...

Por vezes, nós é que somos os verdadeiros irracionáis...
Mas ñ somos seres, somos míseros irracionáis.

Di

SOD, o Pérfido disse...

Somos piores que os tais animais irracionais. Eles não escolhem.